Neste tópico vamos um pouco mais à frente, explicando os bastidores e as estratégias das batalhas.

[size=3]DECLARAÇÃO DE GUERRA E ATAQUES[/size]

Para poder atacar uma região de outro país, é necessário que antes declarar guerra contra o país alvo. A declaração de guerra é proposta pelo presidente e é votada ingame no congresso. Não é gratuita, e custa 200 Gold + 10% da população com nível superior a 5 do país atacante.

Uma vez declarada a guerra, ambos os países (atacante e defensor) podem atacar regiões que façam uma fronteira comum. Vejamos por exemplo a região Paraná e Santa Catarina. Na página da região podem ser vistos os países e regiões que fazem fronteira com o PR/SC:

[center][/center]

Como pode ver, o PR/SC poderia ser atacado através da Mesopotamia, sob controle argentino, ou através de Paranena, sob controle paraguaio, ou conquistando primeiro alguma de nossas regiões originais, como Rio Grande do Sul, Centro-Oeste ou Sudeste. Agora vejamos as fronteiras da região Nordeste:

[center][/center]

Como podem ver, o Nordeste não poderia ser atacado por nenhum outro país, já que faz fronteira apenas com regiões brasileiras. Para ser atacado, alguma das regiões fronteiriças do Nordeste teriam de ser invadidas para que assim ele pudesse ser atacado.

Uma vez declarada a guerra, podem começar os ataques. O presidente é o encarregado e o único que pode dar a ordem de ataque à uma região.No entanto, atacar também não é grátis. O custo de um ataque é 50 Gold + 25% da população residente na região atacada.

Os ataques muitas vezes são usados como estratégia. Se um país, por exemplo os Estados Unidos, perde uma batalha contra um atacante, por exemplo a Rússia, então nas próximas 24 horas apenas o país vencedor (Rússia) pode atacar. Um outro país que tem guerra aberta com a Rússia, por exemplo a Finlândia, poderia atacá-la e consequentemente bloqueá-la, já que quando um país está defendendo-se não pode abrir um novo ataque.

[size=3]MUTUAL PROTECTION PACTS (MPPs)[/size]

Uma parte importante do eRepublik são os Pactos de Proteção Mútua (conhecido ingame como Alliances), onde os países aliados se comprometem a ajudar um ao outro em caso que um seja atacado. Esses pactos são propostos pelo presidente e votados pelo congresso ingame dos dois países em questão. Se a resposta dos dois congressos é afirmativa, são retirados 100 gold de cada país (é o custo do MPP) e o pacto é firmado por um mês (30 dias).

Os mpps só são ativados quando um atacante ataca uma região original de um país. Por exemplo, se agora a Espanha ataca uma região brasileira (no caso, a região Norte, que é a única que faz fronteira - marítima - com a Espanha) são ativados os nossos mpps e os cidadãos dos países aluados poderiam lutar na batalha a nosso favor sem precisar sair de seu país. Exemplo de batalha na qual foram ativados os mpps:

[center]
CLIQUE PARA VER MAIOR[/center]

No caso, os Estados Unidos atacaram a Rússia em uma região original russa, ativando os mpps da Rússia. Meses depois, a Rússia atacou os EUA em uma região original americana, ativando os mpps dos EUA. Resultado: guerra com ambos os lados com mpps ativados.

No entanto, se agora a África do Sul declarar guerra contra o Brasil e ataca Gauteng, os mpps brasileiros não serão ativados já que Gauteng não é uma região originalmente brasileira. Seria uma luta 1 contra 1. Os mpps tem uma duração de 30 dias, a partir dos quais podem ser renovados ou não.

É importante relembrar que se um país não renovar o mpp com outro, então seus mpps ativados desaparecerão. Como assim? Vamos a um exemplo:

A Finlândia tem 4 aliados ativos na guerra com a Letônia que apenas tem 1 aliado ativo na mesma. A partir de agora, a Finlândia se quiser continuar a dispor dessas alianças ativas na guerra com a Letônia terá que renovar todos os meses as alianças (mpps) com esses países. Ou seja, neste caso terá que dispensar 400 GOLD (100 gold x 4 países) para renovar as tais 4 alianças ativas na guerra vs. Letônia.

[size=3]GUERRAS DE RESISTÊNCIA[/size]

Outro tipo de ataque, não relacionado com os anteriores e para casos em que não possam declarar guerra ou não tenham fronteira comum, são as guerras de resistência. Essas podem ser iniciadas por qualquer um que tenha gold suficiente (custam 50 gold + 25% da população residente na região) em regiões que estejam ocupadas por um país que não seja seu dono original.

É o nosso caso em Gauteng, província sulafricana que está sob controle brasileiro.

Para saber quanto custa iniciar uma guerra de resistência em uma região, basta abrir a página da tal região. Por exemplo, Gauteng:

[center][/center]

Os cidadãos do país onde se inicia a guerra de resistência podem escolher por qual lado podem lutar: pela resistência (botão vermelho) para devolver a região ao seu país original, ou pelos defensores (botão verde) para que o país ocupador mantenha a região. Podem lutar apenas os cidadãos do país onde a guerra de resistência foi iniciada, portanto os mpps não interferem.

Guerras de resistência são comumente chamadas de Resistance war ou simplesmente RW, portanto acostume-se com a sigla!

Caso não saiba por qual lado lutar, sempre leia o artigo do jornal do Ministério da Defesa. Assine-o para receber um alerta sempre que tenha uma nova notícia publicada.